Operação da Receita Federal do Brasil na empresa Frios Roraima por contrabando de salsichas termina em tiroteio e fuga de suspeito para a Venezuela

Compartir

Funcionários da Secretaria da Receita Federal do Brasil, mais conhecida como Receita Federal (RFB), realizaram uma operação de inspeção, na tarde da última quinta-feira, 1 de junho, nas instalações da empresa Frios Roraima, localizada em Pacaraima, no nordeste do estado de Roraima, zona fronteiriça entre Brasil e Venezuela.

O objetivo da operação era verificar o cumprimento das normas tributárias e aduaneiras por parte da empresa, que se dedica à distribuição e exportação de produtos alimentícios, principalmente salsichas e outros embutidos, segundo um relatório do site hable.se.

Segundo fontes da RFB, Frios Roraima, empresa que na Venezuela tem sede na cidade de Los Teques, estado Miranda, estaria envolvida numa rede de contrabando de salsichas para o lado venezuelano da fronteira, aproveitando a diferença de preços e a escassez de alimentos que afeta o país vizinho.

No estacionamento da empresa havia vários automóveis com matrícula venezuelana, que transportavam salsichas para passá-las ilegalmente para o outro lado. Os funcionários procederam à apreensão da mercadoria e à identificação dos condutores.

No meio da operação, unidades da RFB realizaram a perseguição de uma caminhonete de cor preta que tentou fugir do local. Os agentes efetuaram disparos para deter o veículo, que conseguiu escapar para território venezuelano com os pneus furados. O condutor tentou ocultar o rosto durante a fuga.

Automóvel objeto de perseguição pela Receita Federal, que conseguiu fugir para a Venezuela

As detonações geraram alarme entre uma multidão de pessoas que se encontravam no local, que presenciaram a troca de tiros entre os funcionários e o suspeito. Não houve feridos nem maiores danos materiais.

 

Frios Roraima (Mercantil e Comercio de Frios Ltda) é uma empresa pertencente ao empresário brasileiro Allan Luiz de Oliveira, que é sócio do cidadão Nuno Condesso Martínez Martins na empresa Atacaraima Comercio, Atacado e Exportacao (Atacaraima Comercio e Atacado de Produtos Alimenticios Ltda).

Nuno Martínez Martins, que possui nacionalidade venezuelana e já teve residência no estado Zulia, na Venezuela, é conhecido como «O Rei do Contrabando da Salsicha». Embora o nome de Nuno Martínez não conste nos registros da Frios Roraima, suspeitas indicam que Martínez é acionista da mesma nos bastidores.

Allan Luiz de Oliveira e Martínez operam a empresa em associação com Willians Paulo Mischur, que atua como CEO da Frios Roraima e de outra empresa chamada Consignum. Outro sócio de Allan Luiz de Oliveira, em uma empresa chamada Frios Roraima Distribuidora de Alimentos e Exportacao (Frios Roraima Distribuidora de Alimentos Ltda) é Wigor Henrique Dos Santos. O grupo mantém vínculos comerciais também com outra empresa que leva o nome de Comarca, na qual participa uma mulher cuja identidade não foi possível precisar até agora.

Willians Paulo Mischur, CEO da Frios Roraima

No estado de Roraima existem processos judiciais abertos contra Allan Luiz de Oliveira, devido à evasão de impostos sobre a circulação de mercadorias.

Nuno Condesso Martínez é também proprietário da empresa Transporte Roraima Do Amazonas Ltda, na qual tem como sócio Matheus Spadare Mischur.

 

O contrabando na fronteira entre Brasil e Venezuela é um problema recorrente que afeta ambos os países. A fronteira entre Brasil e Venezuela tem uma extensão de 2.199 quilômetros e está marcada por uma grande desigualdade econômica e social. A crise que vive a Venezuela provocou um êxodo venezuelano para o Brasil, especialmente para o estado de Roraima.

 

Economista venezolano Jesús Casique realiza colecta para la compra de insumos y medicamentos tras sufrir ACV



COMMENTS